Páginas

24.4.12

Editora JBC - A volta dos que não foram

Caros leitores, abaixo segue a reprodução parcial e com grifos da nota oficial publicada no site da Editora JBC:


REAJUSTE NO PREÇO DE CAPA DE MANGÁS 
Comunicamos que a partir de 01 de Junho de 2012, o valor de capa dos mangás em formato “tankohon” [...] da Editora JBC será reajustado de R$ 10,90 para R$ 11,90. O valor anterior estava sendo praticado desde 2006
O novo valor será aplicado a partir dos seguintes volumes:
- Bakuman 10
- Evangelion 11
- Fairy Tail 19
- Hikaru no Go 22
- Rosario + Vampire II vol. 9
- Cavaleiros do Zodíaco – Saint Seiya vol. 6
O reajuste não terá impacto nas assinaturas com parcelas a vencer.
[...]

Os títulos em formato “meio tanko” [...] não serão alvo do reajuste, permanecendo com o preço de capa de R$ 7,90.

Atenciosamente,
Editora JBC

Para os que ainda não perceberam, o título deste post faz alusão à volta da diferença de R$ 1,00 entre os preços de capas das principais concorrentes do nosso mercado de mangás (Panini e JBC). Faz cerca de um trimestre que a Panini anunciou o reajuste da sua linha de mangás para R$ 10,90 (como pode ser visto no Panini-Fã), variando um pouco de acordo com os "mimos adicionais".

Entretanto, diferentemente da "contrapartida" dada pela Panini (manutenção de páginas coloridas, quando existir no original; abertura do diálogo entre a editora e os consumidores; variedade de publicações; entre outros), a JBC anuncia seu reajuste sem qualquer perspectiva de melhoria, seja da qualidade física ou da tradução/adaptação.

Além disso, a dita cuja [JBC] tem a "cara de pau" de ~tranquilizar~ seus clientes, informando que os "meio-tankos" não sofrerão do aumento de preços. CLARO QUE NÃO, né, Editora JBC. Afinal, faz nem "meio-ano" que estes passaram de R$ 6,90 para R$ 7,90!

Todos devem entender que, ao longo dos anos, principalmente na economia brasileira, os custos são pressionados para cima devido à inflação. Mas, sendo o setor "editatorial" isento de tributação, será mesmo que, apesar da baixa (?) demanda em relação a outros mercados, os custos são de fato tão elevados assim?

Não posso entrar em detalhes quanto à estrutura de custo-e-receita das editoras nacionais, mas usando um pouco de teoria econômica básica, dá para afirmar que um mercado de concorrência monopolística - onde cada empresa produz produtos semelhantes, mas que não podem ser considerados substitutos por apresentarem peculiaridades entre si (caso das editoras de mangás aqui no Brasil) - as empresas operam com uma margem de lucro mais elevada (e com a "oferta" menor) que a desejável, sendo mais do que suficiente para cobrir todos os custos (inclusive as remuneração dos sócios/donos).

Levando isso em conta, volto a repetir: será que este aumento é mesmo necessário? Ou, por outro ângulo, podemos considerar um reajuste "justo"?

Particularmente, julgo que "não!" é a resposta mais apropriada para ambas as perguntas. Contudo, para a Editora JBC (ou qualquer outra empresa, independente do ramo de atuação), a "resposta" a esse reajuste de preços na linha de mangás será obtido não através de ~xingamentos no twitter~, mas, sim, por meio do resultado das vendas de seus títulos.

Portanto, caros leitores e consumidores de mangás, é nossa coletividade que dirá à JBC (à Panini, à NewPOP...) se suas atitudes valem a pena ou não. Se não é possível evitar tal aumento, então, pelo menos, ajamos pela melhoria de nossas publicações: nada mais de (1) folhas transparentes, (2) gírias e adaptações incompreensíveis, (3) descaso com os consumidores, (4) atrasos constantes e injustificados, e muitas outras atrocidades que as editoras nacionais fazem a seu público-alvo.

Sim, acabei empolgando-me ao escrever essa postagem. Muito do que está escrito expõe aspectos da minha opinião sobre como anda nosso "mundo dos mangás"; e apenas isso. Mas, de forma semelhante, muito do texto são fatos e, exatamente por isso, vale a pena refletir sobre.

Por fim, convido-os a deixar opiniões, sugestões e críticas (tanto sobre a situação quanto sobre o texto em si) nos comentários. Os dados foram lançados! Vamos jogar?!

13 comentários:

  1. Saudações


    Ikari, podes me chamar de ignorante.
    Tenho visto todo este rage no dia de hoje e digo: porque se incomodar com este aumento de R$1? Sério, para quê tudo isso?

    Não defendo nem uma editora e nem outra. Mas não vou sair soltando fogos por um aumento que não se faz praticar a seis anos, em tal formato de publicação.

    Acredito que sou simplório demais. Atualmente compro apenas dois títulos da citada editora. E o valor que está sendo tratado desta forma não vai me fazer pensar diferente, ao menos, não por agora.

    Bom, é a minha forma de ver a situação. Posso estar errado, muitos ficarão contra mim, mas o dito um Real de aumento para mim, após seis anos, não impacta de forma tão negativa.


    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!!

      Carlínio Neto e para quem compra os seis mangás juntos? Tem que adicionar esse dinheiro ainda para comprar os mangás? Eu particularmente compro fairy tail e bakuman e vocês?

      Excluir
  2. Olá, Neto.

    Provavelmente, se o sentimento da blogsfera for semelhante ao meu, a indignação com o aumento do preço não é apenas com o aumento em si.

    Sim, como falei no post, faz quase 6 anos do último reajuste e TODOS sabem que o custo com certeza subiu, seja devido à inflação da economia ou à peculiaridades do setor.

    Esse R$ 1,00 a mais desencadeou, na verdade, a insatisfação reprimida (bem, nem tão reprimida assim... rs) com a editora: atrasos em vários títulos sem qualquer motivo aparente, frequentes páginas transparentes, traduções que, vez por outra, deixa a desejar, entre outras "pendências" que a editora tem com parte de seus consumidores.

    Por isso a chamada lá no tweet tem "desabafo de um consumidor". Fiz questão, ainda, de deixar bem claro no final do post, que esse sentimento de "assalto" não é em relação ao aumento do preço per se, mas sim a uma gama de fatores que vêm se perpetuando.

    Não sou daqueles que querem edições luxuosas para todos os mangás lançados. Desejo apenas um padrão razoável, sem oscilações negativas. E, neste quesito, infelizmente, a JBC é uma das últimas colocadas em minha classificação.

    Fique a vontade para réplicas e tréplicas. Estamos aqui para isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações

      Eu agradeço a sua atenção.

      Ainda me acho muito simplório para essas coisas: editoras, formatos e tudo o mais. Realmente, a JBC tem grandes falhas. Mas é como comentei, pois o aumento pode não se justificar pela falta de qualidade e por problemas técnicos quase frequentes, mas era bem previsível...

      E não, Ikari: a maioria da blogosfera pensa igual à você. Devo fazer parte de uma minoria extremamente visível...^^

      Até mais!

      Excluir
  3. Ao contrário do que alguns pensam, publicar mangás não é isento de tributação. E fora isso, existem gastos com gráfica, papel, licenciamentos, tradutores (e demais funcionários), sem contar nos gastos com a distribuição. E com isso tudo, o preço final,subiu apenas UM REAL depois de seis anos.

    Não é motivo pra tanto drama! Falando sério...

    ResponderExcluir
  4. O Ikari acabou de falar no comment acima que não tem (quase)nada a ver a revolta da blogosfera com o bendito 1(este serviu apenas como estopim) e sim com a insatisfação em geral com os seviços prestados pela jbc sem a perspectiva de melhoras no futuro =P; particularmente tbm fico revoltado e espero que, por um milagre, a jbc resolva pelo menos alguns dos problemas citados (só falta boa vontade né)

    ResponderExcluir
  5. Não falei de isenção tributária em relação às contribuições sociais e/ou impostos sobre a folha de pagamento, sobre o lucro ou das "prestações" para com a seguridade social dos funcionários, afinal, esses tributos recaem sobre todas [salvo exceções] as pessoas jurídicas.

    "Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: (...) VI - instituir impostos sobre: (...) d) livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua impressão." [CF/88, Art. 150, VI, "d"]

    De acordo com o texto constitucional supracitado, é proibido cobrar impostos indiretos que recaiam "diretamente" sobre livros e revistas, tais como ICMS e IPI, por exemplo.

    ===

    Mais uma vez: esta postagem tomou como pontapé inicial o aumento dos preços, mas trata de toda uma situação enraizada nas atitudes da JBC. Não vemos notas oficiais dizendo que não haverão mais páginas transparentes, por exemplo...

    ResponderExcluir
  6. Mauricio Cortez25/04/2012 19:43

    Não é questão de chorar por 1 real a mais.
    É questão de chorar por ver alguns dos seus sonhos serem impressos em papel de pão e ainda cobrarem R$ 11,90 por isso.
    E ser tratado como idiota de troco.

    ResponderExcluir
  7. Beleza, ainda perdoou o aumento, mas a JBC tem que mudar também o seu trabalho, capa com frente e verso, uma boa tradução ( A tradução de Fairy Tail não gostei muito, ficou ''caipira'' demais, mas a de Bakuman, está ótima,e também com a qualidade do papel.Pode ser um real, mas pra quem compra muito mangá, vai doer no bolso, né?

    ResponderExcluir
  8. bom espero que a jbc melhore a qualidade, pelo menos a do papel e a tradução, tipo o reajuste da panini foi justo ela esta melhorando a qualidade, imagine so quanto nao ficaria o manga da jbc se ela inclui-se folhas coloridas ou posters (tipo d.gray-man da panini)?

    ResponderExcluir
  9. espero que a jbc pelo menos melhore a qualidade do papel e a tradução.
    pois, o reajuste da panini foi aceitavel ja que terá aumento na qualidade.
    imaginem quanto nao seria um manga com paginas coloridas(tipo air gear/panini) ou com posters (como d.gray-man/ panini)?

    ResponderExcluir
  10. Deixando tudo de lado,ja que agora há uma justificativa plausível da JBC. Ou melhor...uma retificacao de tudo isso.

    ResponderExcluir
  11. Agora com a nova justificativa da JBC para as alteracoes de valores,uma retratacao seria muito bom...

    ResponderExcluir

Solte o verbo!